sábado, 28 de abril de 2007

O livreiro fechado

Acabamos de voltar da mais tradicional livraria de curitiba, a Ghignone. Marcamos ontem entrevista com o proprietário, José Ghignone. Tomamos todos os procedimentos de prache. Porém, José dava respostas curtas e parecia indisposto a cooperar com a entrevista.

"Isso eu não respondo" ou "disso eu não entendo" deram a tônica do encontro que não durou mais de 40 minutos.

Seu tom de voz baixo em meio ao barulho do café da livraria pode ser apontado também como outro elemento desastroso.

Alegou desconhecer que se tratava de uma entrevista para um livro. Pensava que iríamos a livraria apenas para conhecer-la. Disse que em outro horário poderá nos atender melhor.

Mesmo que sejam dedicadas mais horas à conversa, se o livreiro continuar investindo nas desconversas, ele não estará no livro - por mais que nossos amigos da livraria do DCE da PUC acreditem ser essencial a sua presença.

Cecilia fará nova tentativa, onde explicará melhor o nosso objetivo.

2 comentários:

Andre disse...

Meus pesames por tentar entrevistar esta figura exdruxula.
Por este tipo de atitude faz mas de 10 que não compro nada desta livraria.
Se ele fizesse parte do Curitibocas seria suficiente MÁ REFERENCIA para suficiente para não ler.

Anônimo disse...

Trabalhei na livraria dele na XV durante dois anos. Ele e o Chain são os verdadeiros apaixonados por livros em Curitiba, o resto são só megastores.