terça-feira, 24 de abril de 2007

Livro com alma castelhana


Este livro tem que estar pronto em breve. Daqui a pouco o intercâmbio estudantil da Cecilia termina e ela pretende voltar para a Argentina. Eu já estou com coceira para voltar a trabalhar com jornalismo - o livro tem muitas características da profissão, mas usará recursos proibidos em qualquer manual de redação sério.

Os dias passam e o nervosismo cresce. No momento, degravo a entrevista do Oilman, personagem mais popular do livro. Depois dele ainda faltam quatro. Há a previsão de alguns entraves sobre a participação de Ivo no futuro próximo que tomarão tempo.

Estamos na segunda metade do projeto. Precisamos ganhar. Não desejamos muita coisa, 1x0 já serve.

A garra que une Cecilia e eu se resume em duas palavras: alma castelhana. Ambos somos gremistas, time da garra e do suor até o último minuto. Se precisa fazer um gol contra o Cerro Porteño, fazemos um gol. Se são necessários quatro no Caxias, pode acreditar que será assim. Vale gol qualificado? Então é 1x1 fora e 0x0 no Olímpico. O coração batendo embaixo do peito e o regulamento embaixo do braço, como diria o Peninha.

Bah... Grêmio, Curitibocas, Curitiba, Porto Alegre... iii... esse texto não está bom. Era mais mesmo a vontade de dividir minha felicidade pela classificação do Grêmio na Libertadores.
Dá-lhe Grêmio, Dá-lhe Curitibocas.


3 comentários:

Anônimo disse...

Ate´a Pe´nós iremos...(para divulgar o CURITIBOCAS e adorar nosso GREMIO,vale tudo).Força nação Tricolor,Força raça Curitibocas!

Dilico disse...

DALHE GREMIO COPEIRO, DALHE GREMIO QUERIDO, DALHE GREMIO CAMPEAO!

e dalhe curitibocas.. quero entrevista com mano, o genio!

eahuisheauhseaus, FORCA VELHINHO!

Anônimo disse...

Bah agora mesmo que descobri que tu é gremista que vou compra teu livro e acompanhar o blog