quinta-feira, 19 de julho de 2007

Não à Lei de Incentivo

Ontem fomos no cinema a assistir o filme "Cinema, Aspirinas e Urubus". No começo novamente apareceram patrocinadores e o logotipo da Lei de Incentivo. Eu pensei novamente (como eu faço cada vez que vejo essa imagen) por quê não apresentamos nosso projeto.

Enquanto escrevíamos o livro e fazíamos todo a parte de campo (as entrevistas), começarmos a contatar algumas editoras mas o feedback era sempre o mesmo: tem que ter o livro pronto e depois falamos.

Muita gente aconselhava ir pela Lei de Incentivo, mas quando pegamos ela caímos na conta que era um processo bastante mais complexo do que pensávamos. Tem bastantes requisitos e categorias que nós nem tínhamos pensado. Chegamos à conclusão que se queríamos apelar à lei, era melhor ter começado o projeto pensando em todas as condições dela.

Sempre trabalhamos com pouco, pelo menos neste projeto. E a Lei de Incentivo parece (e também pelo que nos dizeram) demorar bastante. Acho que os leitores deste blog já se deram conta que somos impacientes e queremos ter o livro pronto, o projeto acabado. Talvez cometemos um erro, quem sabe. O próximo livro pode até ser adaptado para uma Lei de Incentivo, mas nesta vez não deu.

Um comentário:

Alessandro Martins disse...

João, mantenha-se assim. Sem lei de incentivo. Muito melhor.

Abraços!