terça-feira, 20 de novembro de 2007

Uma farsa chamada Editora Certa

Retomemos os tortuosos descaminhos do meu último post.

No metade do ano, Ceci vai embora. Deixou um legado promissor, com uma certa Editora Certa (cujos trocadilhos, redundâncias e piadas fáceis são irrecusáveis). Marcamos uma reunião com uma das sócias no simpático Café d'Atílio, aqui perto de casa.

Era para às 9h30 da manhã. Pedi folga no trabalho especialmente para isso. Ela chegou às 11h. Você leu o último post, né? Seguimos com uma pequena observação.

Temos um produto meio estranho em mãos. Tem um jeitão meio perecível. O livro tem que sair esse ano, mesmo que fique nas prateleiras por mais tempo e venha a ser lido por outras pessoas daqui a mais tempo, ele precisa de uma primeira onda de leitores com material quente. Além do que, Ceci e eu estamos acostumados a trabalhar rápido e resolver sem muito fru-fru.

Aí pedimos certas coisas para a mina - um contrato, exemplos de outros livros da editora, entre outros tópicos bobinhos. Ela respondia querendo outras coisas: lista dos contatos que eu tenho na mídia paranaense, elaboração de capa, etc. Desproporcional. Mas cumprimos.

Primeiro sinal que ela não manjava nada de nada: disse que esta capa aqui era pobre, parecia daqueles escritores que vendem livro de mesa em mesa nos bares. Eu até critiquei a capa por outros aspectos, mas dizer que é pobre e deu? Qualquer ser que já abriu um Corel Draw ou tem mínima noção de desenho gráfico sabe que esta capa tem um trabalho esmerado e um conceito.

Ruim com ela? Bem, pior com ELE. O livro passou a ter como editor o ex-marido e sócio da mulher. Meu amigo... no post seguinte você acompanhará situações insólitas. Até lá.

2 comentários:

Patrícia disse...

Achei o tratamento bem adequado "MINA",s tratando de alguém tão insignificante e incompetente,chamar d "MINA"é até cordial.
Quanto ao tal marido,Homem Razoável,e´melhor nem mencionar...
Certo é que voces se livraram desses Falcatruas na hora Certa!

catatau disse...

"lista dos contatos que eu tenho na mídia paranaense" - putz, isso é foda. Então o livro é o de menos, né?

Ah sim, esqueci que o Sarney e o Paulo Coelho viraram imortais. Estou bem por fora dos verdadeiros valores da literatura, rssss

sorte q, para além de todos esses 'meios', a escrita continua um fim em si mesmo ;)

abração,