quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Livros para Voar não funcionou

Cadastrei e soltei uma cópia do Curitibocas por meio da rede BookCrossing há mais de um mês, mais precisamente no dia 25 de novembro. Porém, até agora, quem pegou o livro não deu o retorno esperado pelo site. Ou seja, na prática, a idéia de uma grande rede de livros deixados em pontos da cidade não funciona.

Um resumo do que é esse projeto, já explicado aqui no Blog do Curitibocas: você deixa um livro em um lugar público com uma etiqueta indicando que o livro deve ser outra vez deixado depois de lido. A pessoa que leu também deve deixar suas impressões sobre a obra no site. O BookCrossing é em inglês, mas um site em português faz uma interface passo-a-passo em português, além de disponibilizar as etiquetas traduzidas.

Deixei o livro na porta da universidade Uniandrade, na rua João Negrão, região central de Curitiba. Ou seja, um lugar supostamente freqüentado por uma nata intelectual e social que tem acesso a internet. Mas não funcionou com o Curitibocas, registrado sobre o BCID 857-6740419.
******

Também postei há algum tempo sobre uma rede brasileira similar ao BookCrossing, a Livro Livre. Mas resolvi nem tentar. Dei uma boa olhada no site e deram uns bugs meio estranhos. També a interface é pouco amigável. O internauta brasileiro ainda precisa de tudo muito simples. Qualquer dúvida, já fecha o site e desiste. Achei que uma pessoa que encontrasse o Curitibocas com uma etiqueta desse site iria desistir.

4 comentários:

Léo disse...

caralho tio Ash, que idéia fodástica, não conhecia esse Livro Livre, valeu pela dica :)

Anônimo disse...

Meu caro amigo, se seu livro pode ainda estar preso numa gaiola, isto é, quem o recolheu ainda não o leu por isto não o libertou ainda. - Este projeto porém conta com algumas caraterísticas humanas nem sempre presentes em todas as pessoas: 1 - Honestidade, 2 - Compreensão, 3 - Solidariedade, 4 - Amor à causa, etc. - Tenha paciência, quem sabe qualquer dia você mesmo não o encontra por ai? - Outro detalhe: O fato de você o ter libertado em Curitiba não significa que o livro ainda esteja na cidade.

Pedro Markun disse...

Opa,

tudo bem? Sou coordenador do projeto Livro Livre. Pena que você não se deu bem com o sistema. Qual exatamente foi o problema ou 'bug estranho'?

É fato que o internauta (e não só o brasileiro!) precisa das interfaces mais simples possível... mas vamos trabalhando e melhorando.

abs,
Pedro Markun

João Varella disse...

Pedro;
Na tela de busca às vezes aparecia um monte de códigos típicos de banco de dados. Agora não lembro exatamente em qual momento/tela.

De qualquer forma, acho a iniciativa muito boa.